Miriam Leitão – deu na Globo, é mentira

A imprensa golpista denunciou um caso de agressão à jornalista venal Miriam Leitão. Num voo entre Brasília e o Rio de Janeiro, algumas pessoas começaram a cantar palavras de ordem que diziam: “A Globo apoiou a ditadura.”
Passados dez dias, a jornalista disse que tinha sido agredida no voo, que a ficaram achincalhando durante as duas horas de duração da viagem. A notícia, rapidamente (por ser da Globo) produziu reações de todos os lados. Parlamentares, coxinhas e esquerdistas pequeno-burgueses. Todos com a pena da pobre bacurinha.
Bastaram algumas horas para o desmentido. Pessoas que estiveram no voo correram para desmentir o fato, enviando, inclusive, vídeos revelando a farsa da “jornalista”. Era, de fato, uma farsa, como tudo aquilo que ela escreve.
Chegaram até mesmo a culpar Lula, dizendo que ele é o propagador da “cultura do ódio”. No entanto, é preciso dizer, o que ocorreu foi provocado, não por Lula, foi provocado pela própria jornalista. É o reflexo de sua credibilidade.
A direita, da qual a “jornalista” é partidária, pode fazer o que quiser. A esquerda é que não pode. Agredir o Chico Buarque é normal. Tentar expulsar o ministro Guido Mantega de um hospital, também é normal. Atacar petistas em restaurantes, tudo bem. Mas atacar a imprensa não pode. A sagrada imprensa. Atacar jornalista é o mesmo que atacar a liberdade de expressão, disseram uns.
O fato é que o que estava sendo atacado não era a liberdade de expressão. Era justamente o contrário. Manifestava-se contra uma jornalista venal que usa o gigantesco aparato de propaganda que possui para fazer descer goela abaixo da população que as reformas políticas serão boas para ela. Essa jornalistazinha não teve nenhum pejo ao criticar o governo de Dilma Rousseff com argumentos falsos e utilizar os mesmos argumentos para defender o governo de Michel Temer.
O que aconteceu no voo não foi um ato antidemocrático, mas um ato legítimo contra uma farsante, propagadora de mentiras. Contra o jornalismo venal da Rede Globo. Contra a imprensa golpista. Enfim, contra a verdadeira liberdade de expressão. Jornalistas têm o direito de dizer o que quiserem. O povo também. Fonte: Causa Operária.

Comentários